Alô, alô marciano…

Posted in Uncategorized on maio 23, 2009 by jrbaiano1

et7
Não, não tenho “Twitter”!
Não, não ouço Vanessa da Mata!
Não, não assisto América Idol!

Nossa (!) serei eu um marciano?

Não, não vejo filmes europeus!
Não, não jogo bola!
Não, não ando de metrô!
Não, não leio a Caras!

Mas quem é o marciano aqui? Eu ou você?
Parece que as coisas estão ficando homogêneas demais por aqui…
Estranho! Muito estranho!
O pior é que não sei se sou eu mesmo que devo voltar para Marte!

Anúncios

Gavetas

Posted in Uncategorized on maio 10, 2009 by jrbaiano1

As cores das paredes continuam as mesmas, os móveis não mudaram de lugar, as fotos não foram renovadas nos porta-retratos, mas algo de novo passava a fazer parte da vida do Sem Nome

Na madrugada em companhia da esperança, (um não vive mais sem o outro) resolveram tirar das gavetas os seus sonhos. Assopraram-lhe o pó e os colocaram em um lugar de destaque naquele mundo que era seu quarto.

Chora, vivendo as expectativas do termino da madrugada e o inicio de um novo dia. Guardou seus medos nas gavetas do guarda-roupa.
Sorri, contemplando seus sonhos perto das velhas fotos da infância.

As cores das paredes continuam as mesmas, os móveis não mudaram de lugar, as fotos não foram renovadas nos porta-retratos, mas algo de novo passava a fazer parte da vida do Sem Nome

[continua…]

Em tempo: Dia 13 de Junho o programa PONTOZERO começará sua temporada 2009 trazendo grandes novidades, a atração musical será Henrique Cerqueira (ex-Pimentas do Reino). Enquanto não chega o dia assistam logo a baixo o video de Henrique cantando “Pensando em Você”:

Sem Nome

Posted in Uncategorized on maio 5, 2009 by jrbaiano1

olhos
Novo dia. O Sem Nome acorda e trata de dar bom dia à esperança, que pacientemente o esperava. Levanta ainda sonolento, tentando relembrar o lugar que visitou em sonho, sabia que tinha paz… muita paz, queria voltar correndo pra lá. Impossível. Para defronte ao primeiro espelho que encontra, olha. Simplesmente olha, tentando encontrar nesse Sem Nome motivos de felicidade. Segue. Esbarra na mobília empoeirada da sala, espirra. Segue. Vem a mente uma canção, uma qualquer, queria apenas passar o tempo, num canto canta. Segue. Pega o caminho de sempre, de cor ele segue, sem olhar para os lados, sem reparar no caminho. Tenho por mim que um dia o Sem Nome vai sentir falta disso tudo, e vai perceber que deveria ter reparado, ah devia! Segue. As horas passam. O Sem Nome se prepara para dormir, ele dá boa noite a esperança que continua lá, pacientemente o esperando. Não demora a cair no sono, no sonho. Lá está ele de volta ao lugar que lhe trás paz, pelo menos por algumas horas, muita paz.

A soma de todos os anos

Posted in Uncategorized on abril 19, 2009 by jrbaiano1

A nostalgia da vida relembrada em pensamentos repentinos
A infância que passa como passos em estradas imaginárias
Refletidas em meu corpo crescido com atos de homem
Lembradas com ternura do tempo de menino
Lembradas no primeiro beijo de uma boca inocente
Lembradas nos olhos da menina que morava na lua

Com a vida vão se os anos que com ele passeia
Com o tempo vai se meus dias namorando minhas alegrias
De mãos dadas rodopiando sobre lembranças felizes
Deixando apenas saudades dos pés descalços sobre o chão
Dos desejos inocentes, das meninas indecentes sobre o meu jardim
E da malicia adulta em forma de criança

Me vejo de mãos atadas pelas ruas como escravo
Preso pelo sistema da vida cotidiana privada
Das responsabilidades me dada pelo tempo que era amigo
Agora só me restam lembranças e lambanças aprontadas na infância
Relembradas á cada ano que passa com passos apressados
A cada vela que sopro por mais um aniversario

[Dyego Reis]

709035

Mais um ciclo que se encerra e um novo surge. Novos planos, velhos sonhos… e a vida segue, guardando otimas surpresas! Que venham todas elas. Vivendo-as com a intensidade que me é peculiar.

Eu e o Tempo…

Posted in Uncategorized on abril 10, 2009 by jrbaiano1

time_inside

Batidas na porta da frente: é o tempo.

Ele é do tipo que chega aos poucos (ou por hora rápido). Vem, se achega e quando percebemos lá está ele (o tempo) instalado e vivendo a seu bel prazer, trazendo consigo seus sortilégios e desventuras. E não tente se desvencilhar do tempo… Ele é mestre na arte de te acompanhar por onde quer que você vá.

Existe uma velha canção que em um de seus versos diz: “O tempo, no fundo é uma eterna criança que não soube amadurecer”, se assim for mesmo então cabe a nós esse papel: amadurecer (é a nossa chance de se aproveitar do tempo!).
Pedir ao tempo para dar um tempo talvez fosse uma saída, uma fuga. Mas impossível que isso aconteça, ele já perdeu controle de seu próprio tempo. As estações passam, perpassa por nossas íris os verões chuvosos e os invernos calorentos, o “tic-tac” do relógio soa em nossos ouvidos. Não há saída, o tempo bate na porta da frente.

Cuidado! Muito cuidado. O tempo pode ser um belo companheiro, mas pode ser também um algoz terrível toda a vida. Por isso, brinque com o tempo, chame-o para se divertir, um esconde-esconde quem sabe? Seja um aliado, nunca um rival, não discuta com o tempo, não há argumentos que o possa vencer.

Batidas na porta da frente: é o tempo.

Novo Voou.

Posted in Uncategorized on março 16, 2009 by jrbaiano1

novosvoos
Na escola a gente aprende que é necessário que se visite o passado para entender o presente e vislumbrar o futuro. Essa definição se encaixa na…..? (momento de suspense…hehe) quem respondeu História, logicamente acertou (essa foi fácil oW!) E quer saber essa definição nunca foi tão atual em minha vida quanto agora!

Fazendo uma visita ao passado, mas não tão passado assim rsrs, relembro o ano de 2005. Cansado, desmotivado, estressado e todos os “ados” que me vêem a mente. Pressão de todos os lados e eu só querendo saber o que seria de meu futuro. E o pior não via muitas opções para ele. Tomo a decisão de não me “matar” mais nos estudos como nos anos anteriores (não sigam meu exemplo. Combinado? rsrs) e passo a viver uma vida longe dos complicados cálculos de álgebra, das funções criteriosas do reticulo endoplasmático, das mitocôndrias e do famigerado complexo de golgi (até hoje continuo sem entende-las.FATO.) Não que eu tivesse surtado, na minha cabeça estava certo que o que tivesse que ser iria ser, pronto acabou, não adiantaria eu me matar por mais um ano se não fosse da vontade permissiva de Deus que eu chegasse a um curso superior, assim sendo viajei. Sol, praia … que maravilha!!!

Volto, enfrento o vestibular e não é que recebo a noticia que enfim eu havia passado? Pois é, era vontade mesmo D’Ele que eu chegasse lá. Cheguei e sobrevivi às tempestades, aos maremotos, aos terremotos e aos diversos Tsumanis internos, e o me fez ser um cara muito melhor que outrora. Descubro que aquele mundo desconhecido passa a fazer parte tão intrinsecamente de você que a sensação de novidade volta a ser mágico como antigamente em nossa infância.

O mundo muda quando entramos na faculdade? O mundo pode até não mudar, mas concerteza o seu mundo muda. Novos olhares, novas perspectivas, novos receios e novos medos (tudo novo e embalado para presente. rsrs) Você pode se perguntar por que resolvi postar sobre isso. E respondo. Simplesmente por que esse ciclo se encerrara em breve, sim tô concluindo o curso superior, me tornando um Historiador (olha que moral. Sim seu zé mané licenciado em história também é historiador). Mas e agora o que será do amanhã? Algo que pode ser útil e ajudar a responder essa questão é fazer o que aprendemos na escola: visitar o passado para entender o presente e vislumbrar o futuro. É não custa tentar!

(que bom que você chegou até aqui, texto longo esse meu né? Espero que tenha entendido o meu recado. Ficadica!)

E agora?

Posted in Uncategorized on março 8, 2009 by jrbaiano1

escolhas

Sim? Não? Talvez?
Sol? Chuva?
Praia? Serra?

Andar de bicicleta? Caminhar? Correr?
Blog? Orkut? Msn?
Todos? Nenhum?

Namorar? Noivar? Casar?
Quente? Frio? Morno?
Sempre? Nunca?

Dormir? Acordar?
Comer? Beber? Comer e beber?
Amar? Odiar?
Perdoar?

Chorar? Sorrir?
Ir? Ficar?

A vida, desde o nascimento, é feita por escolhas. Nossas ou dos outros. E será a partir dessas escolhas que nosso futuro se construirá. Dos mais simples aos mais complexos, do mais importante ao mais fugaz. Escolhas. Não há como fugir. Faça!